Casais contam como obter sucesso no amor e nas finanças (Estado de Minas)

posted in: Notícias | 0

relacionamentos2[1]

“Quando a gente ama, não pensa em dinheiro, só se quer amar.” A letra da música de Tim Maia é colocada em xeque por especialistas em economia e educação financeira de casais. Segundo eles, para obter sucesso no amor, o casal precisa também pensar e conversar sobre dinheiro e alcançar uma vida financeira mais próspera.

Precisa haver planejamento, estabelecer objetivos em comuns e despesas também. “O termo fundamental é o diálogo entre o casal sobre as finanças e trabalhar juntos a receita da família. É importante haver equilíbrio entre os objetivos do casal e os particulares de cada um”, explica Ricardo Figueiredo, consultor do Vida Investe, programa de educação financeira e previdenciária da Funcesp (maior fundo de pensão patrocinado por empresas da iniciativa privada do país).

A partir do momento em que a pessoa assume um relacionamento, ela deixa de ter as finanças pessoais e assume a vida financeira da família. Apesar disso, Figueiredo acrescenta, não deve haver muitas cobranças e interrogatórios sobre a vida do outro. O importante, segundo ele, é haver cumplicidade. Decidir juntos onde investir, como poupar e como gastar é essencial. E qualquer gasto que envolva a renda do casal, deve ser projetado para que sejam pertinentes na vida do casal, como, por exemplo, a compra de um imóvel.

O consultor afirma ainda que pode ser vantagem ter uma conta conjunta do casal, já que, assim, eles conseguem economizar no valor das tarifas e os dois têm acesso a todas as despesas e receitas. “Eles devem fazer as contas e colocar no papel. Muitas vezes, o momento pode ser inadequado para essa compra, e é preferível dividir o aluguel. Se eles assumem uma prestação que não cabe no orçamento, há uma frustração e grandes discussões. Um culpa o outro, quando, na verdade, os dois são responsáveis pelo problema que surgiu, por falta de diálogo e planejamento”, ressalta.

Comprar ou alugar o imóvel, viajar para o exterior ou dentro do país, poupar para o futuro, a hora de trocar de carro. É importante estabelecer metas que o casal possa cumprir. É assim que funciona na casa dos empresários André e Priscila Safar, de 28 e 31 anos, respectivamente. Desde que se casaram, há seis anos, toda a receita e as despesas da família são planejadas. “Estipulamos os gastos para que a gente consiga economizar e fazer uma poupança. Gastamos metade do que a gente ganha e reservamos a outra metade”, revela André.

André e Priscila já têm casa própria e carro quitados. Além disso, eles fazem uma viagem por ano, que também é planejada e paga com antecedência.

EQUILÍBRIO O educador financeiro Erasmo Vieira afirma que o bolso precisa estar equilibrado para que os corações também estejam. A ideia é que o casal utilize um ao outro para melhorar aquilo que é ruim em cada um. O mais seguro ensina o gastador a controlar o consumismo e vice-versa. “O casal deve abrir o jogo e evitar mentiras. Se um está endividado, o outro deve saber. Quando se esconde e a verdade vem à tona, gera brigas, incertezas e até separações. A vida financeira não pode ser um tabu no namoro ou casamento. Os dois devem falar a verdade e dividir as despesas em comum”, explica.

Foi assim que aconteceu com a assistente social Mariana Cassiano Zamora, de 26 anos, e o caldeireiro Rodrigo Viana do Nascimento, de 27. Depois de cinco ano de namoro, eles resolveram ficar noivos, em dezembro, e marcar o casamento. A partir daí, as despesas passaram a ser divididas. O objetivo é economizar 50% do salário dos dois para conseguir pagar as despesas da cerimônia, em torno de R$ 30 mil, até o fim do ano. “Nossa prioridade agora é a cerimônia. Antes, eu gastava todo o meu salário e, aos poucos, o Rodrigo foi me ensinando a economizar”, afirma Mariana.

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes