10 dicas para equilibrar as contas e manter o desempenho profissional

posted in: Notícias | 0

contasHá quem diga que dinheiro não traz felicidade e há quem discorde dessa máxima. O orçamento doméstico, diferentemente do que muitos pensam, está completamente ligado ao êxito profissional de qualquer pessoa. Não há quem trabalhe, desenvolva projetos ou até mesmo alcance metas sem estar ‘de bem’ com o bolso.

A conta é simples, qualquer aspecto desorganizado na vida de um indivíduo contamina todos os outros e os problemas financeiros não ficam de fora, pois afetam diretamente os relacionamentos, o convívio social e familiar, os momentos de lazer, o sono e, consequentemente, a saúde. Sem contar a imagem do profissional, que não consegue transmitir segurança e transparece seus infortúnios ao reclamar, constantemente, que o salário é baixo e mal paga as contas no fim do mês.

Vale lembrar que uma pessoa bem-sucedida também passa por contratempos econômicos, todavia, se organiza para solucionar rapidamente o aborrecimento de modo que não chega a afetar seu desempenho profissional, tão pouco sua imagem.

E como organizar nossos gastos, mesmo parecendo impossível diante de um comércio globalizado, das ofertas que chegam diariamente em nossos e-mails, das épocas de descontos, bota-foras de shopping e as facilidades de crédito que nos deixa suscetíveis a cair na tentação de comprar algo que precisamos… ou não?
As atitudes são fundamentais para equilibrar os gastos e prosperar com aquilo que se tem. Analise suas ações, administre bem aquilo que entra e sai da sua conta.

1. Controle o dinheiro e não seja controlado por ele

As pessoas contam que se ganhassem mais não teriam tantas dívidas. A verdade é que existem famílias que ganham menos que outras e conquistam muito mais, simplesmente porque não gastam mais do que ganham. Aprenda a conviver com a sua renda e não se iluda, não existem milagres financeiros.

2. Liste seus gastos

Relacione todas as despesas, das maiores às mais insignificantes como o chiclete ou o cafezinho após o almoço. No fim do mês você saberá onde aplicou seu dinheiro e perceberá que pequenos gastos podem ser um gigante invisível que consome uma boa parte da sua renda.

3. Cuidado com a pose e as posses

Não pense que está vivendo melhor por adquirir recursos extras, o conforto momentâneo acabará quando o seu orçamento estourar, dando lugar ao estresse e às preocupações que afetam a tranquilidade de qualquer pessoa. Poupe dinheiro e conquiste aquilo que deseja quando seu orçamento permitir, evitando transformar sonho em prejuízo.

4. Crie inimizade com a impulsividade

Comprar porque simplesmente gostou de algo ou porque o valor está dentro do que se pode pagar é uma ação imprudente, a empolgação causa estragos e por um bom tempo. Resista às compras por impulso e volte a olhar seu controle de gastos, pergunte-se o quão aquilo é útil e se consegue viver sem esta aquisição. E se você é uma pessoa que, mesmo avaliando os riscos, não aguenta passar por um shopping sem adquirir algo ou que compra indiscriminadamente sem refletir nas consequências, cuidado, você pode sofrer de um distúrbio psíquico emocional, precisando de cuidado médico.

5. Previna-se da autoajuda

Muitas pessoas usam as compras como uma bonificação para compensar um problema, quase como uma terapia de autogratificação. O problema é quando essa atitude compromete o seu orçamento e, ao invés de aliviar algo, criará outras tensões ainda maiores, o endividamento é uma delas.

6. Programe o futuro

Planejar a longo prazo tornou-se um comando bastante óbvio. Temos planos e sabemos que é bastante desafiador programar algo com o orçamento mensal, mas é preciso. Reavalie seu orçamento e corte os supérfluos e se, por acaso, não tiver gastos extras, pergunte-se o que pode sacrificar hoje para obter algo maior no futuro.

7. Conte com a colaboração da família

O controle de despesas deve ser compartilhado com o cônjuge, filhos ou pais para que todos possam compreender a necessidade de frear gastos para obtenção de metas. Essa ação, além de distribuir responsabilidade para evitar conflitos financeiros, aproxima a família que passa a trabalhar em equipe.

8. Garanta uma quantia para emergências

Destine pequenas reservas para adversidades como o pneu do carro que furou, a troca de um móvel que quebrou, a compra de remédios para um tratamento de saúde, um táxi para uma reunião de última hora, enfim, imprevistos acontecem e não podemos deixar de pensar neles, e é possível resignar uma quantia sem implicar no orçamento mensal.

9. Ajude a ser ajudado

Reveja se a sua ajuda a um amigo ou um parente não está prejudicando o seu controle financeiro e se não há outro tipo de ação para colaborar com essa pessoa sem que ela se torne um gasto a mais na sua vida.

10. Conheça o coaching

O processo traz metodologia eficaz para quem busca ferramentas e técnicas precisas para alcançar propósitos pessoais e profissionais, desenvolvendo e performando competências fundamentais para atingir o sucesso em todas as ações, influenciando fortemente nos recursos e proventos econômicos.

O segredo da prosperidade é enxergar e melhorar a relação que temos com o dinheiro, não há soluções milagrosas para multiplicar aquilo que recebemos mensalmente, mas é possível tornar nossos rendimentos ainda mais valiosos, afinal de contas, somos o que economizamos.

 

Fonte: Administradores
0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes